TRABALHADORES DA BRF (SADIA/PERDIGÃO) LUTAM PARA RECEBER PLR



Amanhã, terça-feira, dia 14, às 6h, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação de São Paulo, as duas confederações da alimentação (CNTA e Contac) e a Fetiasp (Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Alimentação do Estado de São Paulo) farão um protesto em frente ao escritório central da BRF, localizada no Jaguaré, contra a decisão da empresa de não pagar PLR (Participação nos Lucros ou Resultados) para os 75 mil trabalhadores nas fábricas de todo o País. A decisão foi tomada em reunião na sede da Fetiasp. A data para o pagamento vence no dia 20 de março, mas a direção da BRF comunicou que o pagamento não será feito.

“Vamos fazer a manifestação e entregar um documento exigindo o pagamento da PLR e comunicando que vamos pedir à Comissão de Valores Mobiliários uma investigação no balanço da empresa”, afirma Carlos Augusto, o “Serrote”, dirigente do Sind. da Alimentação e coordenador da Secretaria Nacional da Alimentação da Força Sindical. No Estado de São Paulo, a empresa tem cerca de três mil trabalhadores no escritório central, na Capital, e unidades em Jundiaí e Sorocaba. “Os trabalhadores ficaram indignados com a decisão da empresa, e o CEO global da BRF, Pedro Faria, gravou um vídeo assumindo a responsabilidade pelo resultado”, informa Serrote.

Em 2016, a BRF registrou o primeiro prejuízo anual da história, de R$ 372 milhões, o que provocou o não pagamento de PLR, segundo a empresa. “Os trabalhadores cumpriram as suas metas do programa de Participação nos Lucros ou Resultados em relação à qualidade e à produtividade, entre outros itens. Se não teve lucro, não é responsabilidade dos trabalhadores, mas sim de quem contrata executivos para fazer a gestão da empresa”, e "não foram os trabalhadores que adquiriram matéria-prima de forma errada ou realizaram investimentos fora, na Arábia Saudita, Argentina, no Reino Unido e na Indonésia, que só produzirão resultados no longo prazo”, afirma “Serrote”.

“Quem tem de pagar pelos erros da má gestão da empresa são os donos da BRF, que sempre obtiveram altos lucros e resultados idem, e não os trabalhadores", criticou o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins), Artur Bueno.

Nos reservamos o direito de corrigir quaisquer erros ortográficos e/ou de digitação.

#BRF #PLR #LUTA #SADIA #PERDIGÃO

64 visualizações

SEDES

Rua Conselheiro Furtado, 747 - Liberdade - São Paulo

CEP 01511-000 - (11) 3019-3966

 

Av. Celso Garcia, 1588 - Belém - São Paulo

CEP 03014-000 - (11) 2618-1422

SUBSEDES

Osasco: Rua Antônio Biscuola, 28 Osasco - São Paulo

CEP 06097-140 (11) 3682-9501

 

São Caetano: Rua Amazonas, 430 - Centro

CEP 09520-060 - (11) 4224-6569